O DESPERTAR {SAMANTHA DE SOUSA}


Um sono esquisito, quase acordada. Sofia sente algo arranhando sua barriga. Ainda sonolenta, leva a mão até a região e sente o sangue escorrendo. Antes que pudesse reagir, algo agarra-lhe pelas pernas e a arranca da cama. Garras invisíveis rasgam sua carne. Os braços, as pernas, o rosto, o corpo, tudo sangra. Sofia só consegue gritar e revirar-se de dor. Novamente algo a arrasta até a parede e na parede eleva seu corpo e a puxa até o teto que a absorve como se ela fosse um líquido. Uma poça de sangue se acumulara em sua cama, um rastro de sangue espalhava-se continuamente no chão, pela parede, desaparecendo no teto. Um vento leve entrava pela janela do quarto e movimentava a cortina. Sofia deixara a janela aberta, pois a noite estava tão quente que seria impossível dormir. 

1 comentários: